Home

Apresentação Web realizada para a disciplina de 
Iconologia II 
- UFPEL

Robert Smithson (1938-1973)
Sol LeWitt (1928)
Robert Morris (1931)
Carl Andre (1935)
Christo & Jeanne-Claude (ambos nascidos em 1935)
Walter de Maria (1935)
Dennis Oppenheim (1938)
Richard Long (1945)
Richard Shilling (1973)
Andy Goldsworthy (1956)
Chris Drury (1948)

Referências

 

 

 

 

 

 

 

   

Sol LeWitt 


Sol Lewitt nasce no dia 9 de setembro de 1928 em Hartford, Connecticut nos Estados Unidos. Faz o curso de Artes da Wadsworth Atheneum e obtém sua graduação pela Syracuse University, em Nova York.
Conhecido artista minimalista e conceitual, LeWitt cria nos anos 60 esculturas que ele mesmo denomina de estruturas – formas compostas de elementos cúbicos e derivadas de cubos que ele rearranja a cada trabalho. Essas estruturas são muito simples e às vezes sugerem ao espectador sua finalização mental que o leva a construir a imagem do cubo. Com essa configuração coloca em questão a relação entre concepção e percepção, superfície e volume, transparência e vazio, forçando-nos a perceber o espaço onde a obra se encontra.
Na década seguinte passa a realizar também pinturas murais, faixas finas de cor organizadas a partir de uma forma geométrica que, com passar do tempo, vão crescendo em dimensões. Dado importante desses projetos está em que seus murais geralmente duram apenas o tempo da exposição, ou seja, são efêmeros.
Graças à simplicidade e aura metafísica que caracterizam seus trabalhos, Lewitt muda as convenções de grande influência na arte contemporânea, em suas inúmeras formas de apresentação, tais como instalações e performances.
Além das obras plásticas, LeWitt publica textos sobre Arte Conceitual. O mais conhecido deles data de 1969, e intitula-se “Sentenças sobre a arte conceitual”. Nele escreve 35 frases que caracterizam o movimento; esse texto torna-se o primeiro guia para a nova arte conceitual que surge nesse momento. Algumas idéias ali defendidas são: a valorização do pensamento ilógico que leva a novas experiências; uma idéia pode ser concebida através de diferentes formas, sendo que nenhuma forma é superior a outra; o conceito de uma obra pode envolver o material da peça ou o modo que se deu o processo; o processo é mecânico, e uma vez que se iniciou, a vontade do artista deve ser secundária; dentre outras colocações que reunidas nos trazem, principalmente, o conceito da obra como mais importante que os meios e sua autoria.